terça-feira, 27 de outubro de 2009

Um toque.

Acabámos de fazer amor. Tão intensamente. Como sempre. És lindo e adoro sentir-te tão junto a mim. Como se fossemos um só. Dizes que me adoras, que estás apaixonado por mim. É tão recíproco que não fazes ideia. Acabámos de nos entregar um ao outro da maneira mais linda e profunda que pode haver. Entrego-me a ti como nunca me entreguei a ninguém. Pelo menos, não em tão pouco tempo. Não tão facilmente. Afinal, todos temos os nossos complexos...

Dizes-me coisas que nunca ouvi e que sempre quis ouvir. Se calhar, é por isso que não falo, que não te digo o quanto me fazes sofrer quando te vejo distante. Com quase toda a certeza, a pensar n'Ela.

Deitamo-nos, lado a lado. Pegámos nos telemóveis para ver as horas e vemos que ainda é cedo. Ainda podemos dormitar mais um bocadinho. Agarrados. Enroscados. Como sempre.

Viro-me para pousar o telemóvel e ouço um toque de chamada vindo do meu lado. Eras tu, e o teu telemóvel. Virei-me para ti e tu escondeste-te. Encolheste-te. Tolheste-te. Como fazes, sempre que recebes algo d'Ela.

Acabámos de fazer amor e tu mandas-lhe um toque. Começou bem o dia.

4 comentários:

Eyes of Devil disse...

uiii perdi o fio a meada... vou ver se o resto dos posts me esclarece lool

bj

Diário disse...

:) já estás esclarecida? :)

chapeu de sol amarelo disse...

foge enquanto podes!!

L. ♥ disse...

Conheço tão bem essa sensação. =$

DO que li parece que temos uma história parecida. :(

Força para ti. Que consigas ver o que é melhor para ti. Beijinho.